Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/06/2017

DIÁRIO DE BORDO: De volta a servir a nossa freguesia...

... depois do acidente na cozinha. Agradecemos a preferência, as preocupações e os cuidados de alguns leitores.


Na verdade, cozinha foi uma metonímia. O acidente foi na oficina onde cozinhamos, quer dizer fabricamos, os pratos, quer dizer os posts, que aqui servimos à freguesia, quer dizer publicamos para os leitores. E deveu-se a vários fenómenos que, por acaso, até exemplificam porque o nosso PIB per capita ppp (ppp!) é apenas 60% do alemão.

Sim, qualquer triste e seco operário alemão, privado de afectos, desligaria o disjuntor antes de mexer numa instalação eléctrica, não juntaria condutores fase e neutro num circuito, faria o trabalho de acordo com um plano e, no final, não levaria quinze dias para completar um trabalho que tinha dito seria feito em cinco.

Enfim, este é o ponto de vista de um perigoso liberal. Um socialista prenhe de afectos acharia que tudo isso aconteceu porque o operário português ganha menos do que o alemão e se, além do afecto do presidente e da boa disposição do primeiro-ministro, pagássemos mais uns 70% ao operário português ele desligaria o disjuntor, não juntaria condutores fase e neutro e faria o trabalho em 1/3 do tempo. Dies zeigt deutlich, dass wir die Löhne erhöhen müssen!

2 comentários:

Luis disse...

É feio rirmo-nos com os problemas alheios mas este post fez-me sorrir. É que é mesmo assim!
Cumprimentos

Voris disse...

É caso para me lembrar do "Hell's Kitchen".